PMs fazendo abordagens no Centro

“Boa noite, amigo! Segue uma foto tirada por volta das 17h na Av. Presidente Vargas. A imagem mostra policiais militares abordando e revistando dois indivíduos que se encontravam proximo ao semáforo na altura do Campo de Santana. Fazia muito tempo que eu não presenciava uma revista ou abordagem policial nas imediações do Centro. Favor não me identificar.”

12967945_1098345440236595_6139777911755351267_o


Eu já fui “sequestrado” por PMs

Explicação do post anterior no qual tem gente reclamando e duvidando não sei de quê???
Vou contar algo que já aconteceu comigo (criador da página),
doa a quem doer.
 
Ninguém pode falar do que não viu. Queria deixar claro que a mensagem do post anterior é uma mensagem como outra qualquer. Não vi malícia na pessoa que escreveu. Sempre olho o perfil de quem me envia. E perante a constituição (na justiça) o testemunho de uma pessoa vale mais do que imagens, para quem não sabe. E vamos parar de hipocrisia. 90% da população fala e não cansa de propagar que nossa polícia é mal preparada (isso inclui quem está aqui nos comentários). E a polícia não cansa de errar e exagerar nas abordagens. A prova é o nascimento dessa página, que nasceu justamente por falta de abordagens em verdadeiros suspeitos que passavam e ainda passam na frente deles e nada se fazia ou faz (hoje melhorou aqui no centro). Portanto, reparem bem no texto: ela falou em um senhor. Revistou a mulher também? Outra coisa que penso que o ser humano tem que parar, é de falar se era negro ou branco. Era um ser humano e ponto final. As polícias abordam tão bem que a violência praticamente não existe, não é? Faça-me o favor. Eu mesmo estava cansado de ver passarem suspeitos aqui no Centro na frente da polícia e eles nada. Comecem a reparar isso também. Há muitos anos atrás (ano 2000) eu tinha um Audi e estava na Av Brasil, e como meu carro era zero, vermelho e chamava a atenção, ainda mais que nem emplacado estava porque ainda ia emplacar, a polícia me parou, e como eu estava sozinho, os policiais começaram a fazer um joguinho de terror comigo e praticamente me “sequestraram” com 3 viaturas me escoltando e me falando que iam me levar para o depósito àquela hora da noite, quase as 22h. Detalhe; eu estava passando em frente a fundação Oswaldo Cruz sentido Irajá. Eles colocaram um policial sentado no meu banco do carona e fizeram eu dar a volta na linha amarela e pegar Av Brasil sentido centro. Isso com o chefe deles, acho que era um sargento, falando antes assim: “está querendo me oferecer algo?” Eu falei que não e que o carro era zero e eu era trabalhador e comerciante. E ele falou:”ah bom, comigo não tem papo” Então, o soldado ou cabo no meu carro comigo, falava: “Sargento babaca (acho que era teatro), te levar e a gente perdendo de pegar um traficante de fuzil e ganhar um dinheiro maior” Aí no caminho, o PM falou assim: “dá uma piscada com o farol para a patrulha da frente que eu vou dar um papo no sargento, vc tem algo pra dar?” Falei que tinha porque queria me livrar do pior. Então, ele foi lá na frente conversou algo com o sargento e me chamou lá na viatura e ganhei um esporro (puro teatro) o sargento me perguntou: “vc ofereceu algo ao cabo?” Eu falei a verdade, falei que não ofereci nada e que foi o cabo que me perguntou se eu tinha algo para dar. Aí o sargento falou: “não tem papo. Não tem acordo. É direto para o depósito” E eu falei ok. Aí seguimos viagem e chegando em Manguinhos o cabo fala de novo; “Porra, pisca de novo o farol, vc tem 100 reais aí?”(ah,100 reais no ano de 2000 seria quanto hoje?) falei: “tenho”. Aí o cabo foi até o carro do sargento e de lá fez um sinal juntando as duas palmas das mãos, tipo rezando, aleluia… que o sargento aceitou (ah, isso tudo na escuridão tá). Moral da história, quer dizer, do teatro: ainda tive que apertar a mão de todos os policias tipo pedindo obrigado. Detalhe: naquela época não tinha depósito porra nenhuma que funcionava a noite. Fui ou não fui sequestrado pela polícia? Só falta um babaca vir aqui falar: “por que não deu queixa na polícia?” Sinta-se xingado.
E aí, minha história é mentirosa também? Acredite se quiser.
Só sei que perdi 100 reais na época, com medo de sei lá o quê que poderiam fazer comigo (se quiserem faço a reconstituição do crime).
 
Hoje, apesar desse ocorrido, vejo que não temos tantos maus policiais como aquela época. Será que eles ainda estão na polícia? A verdade é que ainda falta muito para não errarem em abordagens. Esqueceram que policiais já metralharam e até mataram pessoas e famílias em seus carros, por engano nas abordagens?Esqueceram que já mataram uma pessoa com uma furadeira no seu terraço?
 
É lógico que como uma pessoa escreveu: “O policial não pode abordar com uma rosa na mão” – Mas acredito também, que se muita gente fosse abordada com uma rosa na mão, a paz poderia se espalhar mais rápido.

Motos incomodando

“Por favor, não me identifique!!!! Recebi um email hj bastante preocupado e lembrei do que já li aqui. Por favor, não me identifique. Por volta das 2:30 da madrugada, esta noite, um grupo de mais de 1000 motos passou pelo Alto da Boa Vista em direção à Barra, vindo da estrada do Sumaré. Há notícia de um mesmo grupo, de igual tamanho, na rua Conde de Bonfim, mais ou menos à mesma hora, alguns dias faz. A passagem do grupo faz muito barulho, e dura mais de meia-hora, o que acorda os moradores. A polícia teria explicação para isso? Quem já viu as motos tem a sensação de estarem fazendo uma ostensiva demonstração de força. O que diz a polícia?”


GMs querem que Prefeito Eduardo Paes cumpra a lei

O cidadão carioca precisava disso: uma audiência pública na Alerj que mostrará a obrigação do prefeito em usar a sua Guarda Municipal para atuar na proteção da população. Hoje o prefeito se omite, mas a lei fed. 13.022/14 o obriga a assumir as suas responsabilidades, que nao é apenas do governador. A Guarda não é para o camelô, mas para nossa proteção. Chega de omissão!!!!”

12941052_212759862433272_490651334_o