quinta-feira , 23 setembro 2021

Se não investiga, não tem corrupção.

Polícia Federal decidiu tirar o delegado que cumpriu os mandados de busca e apreensão contra o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, da chefia da Delegacia de Repressão à Corrupção e Crimes Financeiros do Distrito Federal. Franco Perazzoni chefiou a Operação Akuanduba, cujo alvo principal foi Salles, em operações realizadas há pouco menos de um mês.

A troca ocorreu por decisão da Superintendência do DF. Apesar de ter perdido o cargo, Perazzoni continuará à frente das investigações contra o ministro do Meio Ambiente, suspeito de participar de um esquema criminoso de venda ilegal de madeira.

Não é a primeira vez que há mudanças na PF no âmbito das apurações que ocorrem em torno de Salles. Um dia depois de ter apresentado uma notícia-crime contra o ministro no Supremo Tribunal Federal, o delegado Alexandre Saraiva foi tirado do cargo de superintendente da PF no Amazonas.

 

Veja Também

Rio de Janeiro sem moral

Que vergonha esse Rio! Blitz da Lei Seca montada na Avenida Brasil altura da Vila ...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *